Para aqueles que ainda não tiveram acesso ao trabalho de um profissional qualificado, podem pensar que o massoterapeuta apenas  tem uma massagem para cada local de dor. Se a dor é na região  lombar, vamos fazer massagem de dor lombar! Se é uma dor nos pés, vamos fazer sempre a mesma massagem para os pés! Isto é um grave engano. O profissional deve ir muito mais além e  identificar o  que pode estar causando o desconforto em seus pacientes.

Muitas questões são abordadas como:

Qual o histórico da dor relatado pelo paciente para imaginarmos como foi feita a possível lesão;

Quais os movimentos que geram dor e assim identificarmos os músculos e articulações  envolvidas;

Na apalpação, quais os locais que provocam dor;

Sinais na pele que podem sinalizar problemas nos tecidos superficiais e profundos como varizes, estrias, celulites, coloração, edemas, temperatura e outros.

Identificando, por exemplo, o  músculo romboide maior encurtada e com nódulos, podemos  agir com as diversas  técnicas que permitem evoluir o estado do paciente. Assim como, crioterapia, acupressura, massagem profunda, alongamentos, óleos terapêuticos e muitos outras.

No final de uma sessão ainda podemos orientar o paciente na melhor conduta para manter saudável os tecidos tratados.

É evidente que o diagnóstico do massoterapeuta não substitui a de um médico. Dores na região do quadrado lombar podem estar ligadas a um problemas nos rins e não necessariamente tem como causa principal  os músculos.