Texto elaborado por Carlos Roberto Serrão Haddad
haddad.ibted@gmail.com

Se pelo menos nove motivos podem ser atribuídos à FM,

por que esta síndrome não é considerada um sintoma mas uma doença?

O que é

Fibromialgia (FM) é uma síndrome dolorosa crônica e sem inflamação.

Caracteriza-se por fadiga, falta de flexibilidade pela manhã; formigamento ou falta de sensibilidade nas mãos e pés; sono superficial e não reparador (alterações não na duração, mas na qualidade); depressão e/ou ansiedade; dor de cabeça; dor abdominal com períodos de prisão de ventre intercalados com diarréia; Ciclos menstruais doloridos. Em nenhum momento há inflamação ou deformidade nas articulações e os movimentos não estão limitados. Outra característica relevante é a redução dos índices de neurotransmissores, em especial a serotonina, e o aumento da substância P. É considerada uma doença feminina porque ocorre em 20 mulheres para cada homem. Geralmente ataca pacientes entre os 40 e 60 anos. Também é considerada a doença dos perfeccionistas ou do ressentimento: antes dos sintomas, seus sofredores costumam ser supermães, supermulheres ou supertrabalhadoras e, após, vítimas com baixa auto-estima. Os sintomas duram por anos sem modificações importantes.

Outra característica da FM é a dor difusa e não localizada: ela não está em uma ou poucas articulações ou tendões, mas distribuída por todo o corpo, por um dos lados (esquerdo ou direito) ou por uma das metades (acima ou abaixo do umbigo).

O que provoca esse mal?

Oficialmente não se conhece a causa.

Diagnose

É feito pela confirmação de alguns dos sintomas já comentados (fadiga persistente, rigidez matinal, sono não reparador, sem inflamação ou deformação) e a apalpação (4 Kgf) de 18 pontos (tender points), dos quais onze doloridos confirmariam a patologia.

Dúvidas no diagnose

A literatura da área constantemente diferencia fibromialgia de mialgia de fadiga e da síndrome dolorosa miofascial (SDM). Mesmo assim, Chaitow oferece ainda nove hipóteses: cronobiológica, genética, integrada, disfunção imunológica, cociptiva, neurossimpática, de retenção, de hormônio de estresse (deficiência de cortisol) e de disfunção do hormônio tireoidiano. Para cada uma destas opções esse autor apresenta pelo menos uma pesquisa científica.

Posso ainda somar outros casos que apresentam os mesmos sintomas, como intoxicação por cálcio. Pessoas que consomem muito o mineral cálcio (mais de um litro de leite por dia, por exemplo) costumam sentir dores generalizadas: praticamente todos os pontos, inclusive os tender points, ficam doloridos, assim como podem e costumam ter os outros sintomas em comum com a fibromialgia, como problemas intestinais e sono irregular (o excesso de cálcio afeta o sono e os intestinos).

É fácil promover um diagnóstico diferencial. Aperto apenas a pele do paciente. Se estiver dolorida em todos os segmentos: braço, perna, costas e abdome, certamente haverá dor ao se comprimir os tender points. Ou seja, se alguém procurar os tender points para diagnosticar FM em pacientes que se intoxicaram com cálcio, certamente encontrará dor, como se os pontos estivessem ativos.

Outra dificuldade é com a pressão: 04 Kgf. Ignoro quem determinou esta pressão para a avaliação. Em todos os casos de mialgia de fadiga, esta pressão fará doer os pontos. Faça a seguinte experiência: procure uma balança e force com apenas um dedo até que marque 04 Kg. Depois, com a mesma pressão aperte os tender points em um de seus conhecidos. Provavelmente mais de onze pontos provocará dor insuportável a ponto de o seu modelo se contrair para fugir da experiência. Se ele tiver passado dos 40 anos então, o índice aumenta e muito. Quase todas as pessoas com mais de 50 anos, com FM ou não, não suportam tal pressão. Estão todas com FM?

Há obra médica que associa a FM com a depressão, afirmando que normalmente um deste males é sintoma do outro e tratando ambos com antidepressivos. Jamais discordo de uma prática médica e certamente este tratamento deve ser eficaz em vários casos. Posso especular o mecanismo: quadros depressivos dificultam a circulação de linfa extraprofunda, que é o motivo básico das fibromialgias, como veremos.

Pessoas com alto índice de algum ácido (substância P, ácido lático, úrico ou outro qualquer) ficam muito sensíveis ao toque. Também pessoas que se submeteram a esforços físicos em exagero (por causa do ácido lático) ou com o sangue muito ácido (pela alimentação, por exemplo). Estão todas com FM?

A substância P é um neurotransmissor produzido por neurônios ao sofrerem pressão ou dano. Por que é tão comum em FM?

Terapias que aquecem costumam aumentar a dor em pacientes com fibromialgia, artrite reumatóide ou doença de Paget nos ossos; o aquecimento aumenta o metabolismo celular, aumentando os resíduos; também aumenta a circulação periférica, o que reduz a de linfa extraprofunda. Não seria por isto que a dor aumenta? Afinal pressão e ácidos (os resíduos metabólicos são ácidos – úrico e lático por exemplos) são os principais estímulos para os nociceptores (terminais nervosos que sentem dor, sensíveis a ácidos e pressão).

Conclusão

Uns afirmam que a FM tem origem genética, outros que é provocada pela tireóide, há que diga que é de fundo depressivo (social), quem aposte na alimentação como origem e quem prefira dizer que é um sintoma natural de envelhecimento. Eu prefiro associar a bloqueios na circulação de linfa extraprofunda. E todos podemos estar certos.

Conclusão: várias patologias promovem quadros que podem ser diagnosticados como fibromialgia.

Você viu esta pesquisa?

Que males possuem o sintoma Fibromialgia? Em vez de que sintomas caracterizam a Fibromialgia?

Ela poderia:

Definir melhor a origem deste mal até para um tratamento mais direcionado.