Texto elaborado por Carlos Roberto Serrão Haddad
haddad.ibted@gmail.com

Principais características e terapêuticas direcionadas

No texto (Fibromialgia 1: críticas ao diagnóstico e à sindromização) comentei sobre a possibilidade de a fibromialgia (FM), uma síndrome dolorosa crônica e sem inflamação que oficialmente não se conhece a causa, não ser uma doença, mas um sintoma comum a várias doenças.

No texto Fibromialgia 2 mostrei a importância da terceira circulação de linfa na nutrição de ossos e cartilagens e nos sintomas da FM.

Vejamos agora algumas informações que podem direcionar os protocolos terapêuticos.

1) O alívio das dores

As primeiras terapêuticas devem ter por objetivo o alívio das dores. Sabemos que os principais recursos para aliviar este mal estão nos exercícios físicos, mas submeter pessoas com muita sensibilidade a atividades físicas pode piorar o quadro:  a dor provoca a produção da substância P, um ácido muito comum nos quadros fibromiálgios. Exercícios em excesso podem produzir ácido lático, mas este risco é pequeno quando a orientação é de bons profissionais: são bem informados e evitam isto.

2) Circulação de linfa

Devemos procurar, desde o início, estimular a circulação da linfa, em especial a que circula (ou deveria circular) junto a ossos e cartilagens. A terapêutica que mais recomendo é a terceira drenagem. Pequenos exercícios,normalmente circunduções, são altamente recomendados.

O horário da tarde parece o mais recomendado. O horário de maior dor é o da manhã, ao acordar. Deitar-se com a terceira drenagem recém promovida pode aliviar este sintoma.

3) Regulação alimentar

Normalmente os fibromiálgicos se imputam algum tipo de controle alimentar. Como os alimentos ácidos podem prejudicar o quadro, devemos conferir se buscam alimentos alcalinizantes ou acidificantes.

Sabemos que os ácidos e o excesso de cálcio provocam problemas circulatórios, logo, convém avaliar em especial estes dois componentes. Confira no texto Artrose com Osteoporose.

4) Estimulação de funções hipotalâmicas

A sensação de dor promove reações simpáticas, o que inibe as funções hipotalâmicas. Como redução dos níveis de serotonina e oxitocina, importantes para a sensação de prazer e promoção da imunidade. Sem questionar o uso de antidepressivos, existem vários recursos para a estimulação do hipotálamo. Todas as técnicas de consciência corporal aqui se incluem. Recursos das terapias faciais e das reflexológicas costumam ser os meus prediletos. Vale até um pedacinho de chocolate durante alguns dias (se não for contraindicado por algum motivo).

5) Drenagem linfática

Pele edemaciada costuma ser uma característica nos fibromiálgicos. A drenagem linfática, além de reduzir edemas, estimula as funções hipotalâmicas e colhe ótimos resultados.

6) Psicoterapia

Certamente o estado emocional é um dos principais motivos para uma baixa nas atividades. Quem melhor para lidar com essa questão que os profissionais do ramo?

7) Sobre o sono

Falta de Triptofano, uma proteína animal, cálcio quelado (veja ainda magnésio, exposição ao sol da manhã e consumo de vitamina D) e complexo B podem estar por trás das dificuldades do sono. Como no caso dos fibromiálgicos sabemos que as dores e a baixa atividade metabólica tem ação direta na qualidade do sono, considero este tópico importante mas não prioridade.

8) Sobre os problemas intestinais

Assim como o sintoma de sono irregular, regularmente a disfunção intestinal pode ser em consequencia das dores ou do baixo metabolismo (os intestinos são sensíveis a problemas que afetam músculos, neurônios e flora intestinal). Não devemos dispensar essas avaliações, mas não precisamos priorizá-las.

9) Gelo e calor

O calor provoca aumento metabólico e costuma colher maus resultados nas dores fibromiálgicas. O frio aumenta a contratura muscular, o que pode ter efeitos nocivos. Recomendo não insistir nesses recursos.

10) Respeito!

Minha principal recomendação costuma ser compreensão e respeito. Sabemos que a FM é regularmente associada a quadros depressivos já que nestes quadros há uma redução substancial nas atividades físicas. Quadros emocionais resultantes de fracassos, perdas, ofensas, traição, injúrias, enfim, mágoas da vida, deixam o magoado sem atividade, quase que paralisado, o que está verdadeiramente por trás do quadro da fibromialgia. POR FAVOR: não digam ao sofredor de fibromialgia que ele é ressentido, deprimido, que não sabe perdoar. É muita covardia e falta de humanidade chutar a cabeça de quem já está no chão!

Você viu estas pesquisas?

Como fracassos comuns na vida promovem a perda da atividade geral do organismo e lhe afetam a saúde?

As técnicas de estimulação passiva da circulação de linfa profunda e da extraprofunda aliviam imediatamente os sintomas da FM a ponto de promover, em vários casos, a cura total dos sintomas em poucas semanas. Recursos da Fisioterapia e da Educação Física atuam diretamente nesta circulação e no sintoma dores no corpo todo. Relatos de pessoas submetidas à massoterapia com a terceira drenagem  ou a exercícios leves (em que se priorizam as circunduções) e aeróbicos (sem produção de ácido lático) registram casos de cura total. Os primeiros casos de cura total que tomei conhecimento foram de pessoas que persistiram na prática do Tai Chi Chuan, uma técnica oriental que inclui exercícios e respiração. Em todos os grupos de terceira idade que visito, ouço relato de fibromiálgicos que não mais sofrem de dores após persistirem nos exercícios. Por que há pessoas que dizem que a FM não tem cura?

Por que são tão raras as pesquisas com as pessoas que se aliviaram dos sintomas da FM, mas sobram pesquisas sobre os efeitos dos remédios que são ou serão propostos para os mesmos sintomas?

Elas poderiam:

Ampliar e muitos os casos de cura da fibromialgia assim como substituir o uso de medicamentos antiálgicos nessa síndrome, com significativo salto na qualidade de vida das pessoas que sofrem deste mal.